Português, amor à primeira vista

«“Amor à primeira vista”, eis o título do vídeo e da campanha para encorajar o alunado para escolherem português no seu centro.
A DPG lança um vídeo em múltiplas plataformas e redes sociais que esperamos atinja grande parte do alunado.

“O meu co português foi um match total “ linguagem informal, formatos novos a campanha através das redes sociais busca a cumplicidade da juventude porque afinal , não é a todos que o português nos seduz?
Amor ou o nome que hoje lhe quisermos dar às sensações de prazer que aquilo nos desperta, essa tal conexão, dopamina para o nosso cérebro, ligações neuronais inesperadas…. Pronto, cá está a língua portuguesa na sua melhor aproximação, mais um caso de “amor à primeira vista”».

Cf. DPGaliza

Alumnos lucenses aprenden portugués

«A Associaçom Galega da Lingua e a Vicepresidencia da Deputación organizan 25 obradoiros en trece centros educativos da provincia.

A Associaçom Galega da Língua (AGAL) desenvolverá 25 obradoiros de achegamento ao portugués en trece centros educativos da provincia, da man da Vicepresidencia da Deputación de Lugo. A vicepresidenta, Maite Ferreiro, e o presidente de AGAL, Edudardo Maragoto, presentaron no Pazo de San Marcos esta iniciaitiva que achega ao alumnado lucense unha actividade formativa que AGAL está a levar a cabo noutros concellos de todo o país.

Os obradoiros, que se desenvolven baixo o epígrafe O Português Simples-OPS teñen como obxectivo descubrir ao alumnado a vantaxe do galego para aprender portugués e acceder ao mundo que se expresa nesa lingua, a sexta do mundo en falantes.

[…] Ademais, informan do que a lusofonía representa en termos xeográficos, culturais e económicos, contribuíndo a tomar consciencia do que descoñecemos dos países que falan portugués. Tamén fornecen recursos para que os alumnos e alumnas sexan autonómas na aprendizaxe, poñéndoas en contactos con diferentes recursos culturais, desde música ou cinema ata xornais e xogos […].»

Cf. La Voz de Galicia: “Música, cinema, xogos e a lingua galega axudan aos alumnos lucenses a aprender portugués”

Da Lei Paz Andrade à Casa da Lusofonia

«A Deputación de Ourense, da man da Associação Impulsora Casa da Lusofonia , están a traballar para que a cidade das Burgas sexa sede dunha Casa da Lusofonía, dentro da rede de casas internacionais do Estado español. Trátase dunha nova iniciativa, sete anos despois da aprobación da Lei Paz Andrade en Galicia, para ter unha maior presenza no mercado económico, social e cultural do mundo lusófono, sacándolle todo o proveito ao potencial da lingua galega como lingua extensa , útil e claramente internacional.

Sobre todos os pasos dados neste sentido nos últimos anos, falamos co presidente da Deputación de Ourense, José Manuel Baltar Blanco; co secretario xeral da Associação Impulsora Casa da Lusofonia e portavoz para a defensa da ILP Paz Andrade no Parlamento Galego no 2013, Xosé Carlos Morell; o director do Instituto Galego de Análise e Documentación Internacional (IGADI), Daniel González Palau; e a escritora, psicóloga e integrante da Comissão Executiva do Patronato da Fundação Academia Galega da Língua Portugesa, Concha Rousia.»

Cf. NÓS televisión

Pedro Balado: o que “estamos perdendo por estar de costas ao mundo lusófono”

«[…] Vendo a situaçom sociolinguística na Galiza, como imaginas o panorama dentro de 20 anos?
Acho que vejo um pouco o que vemos todos: entre mal e muito mal. O número de falantes continua a descer e as medidas de protecção sobre a língua penso que são insuficientes. Faz falta uma intervenção urgente, provar coisas diferentes. Esse giro cara a norma portuguesa pode ser uma boa forma de abrir-nos a um mercado mais amplo.

O que achas que cumpre fazer para reverter a situaçom?
Acho que se queremos achegar-nos aos 240 milhões de potenciais falantes, devemos apartar um pouco o debate sobre a língua e mostrar conteúdos reais (televisão, comédia, literatura…) que nos estamos perdendo por estar de costas ao mundo lusófono. Há muitas culturas maravilhosas que temos a sorte de “consumir” sem ter que estudar uma língua. É de parvos não aproveitá-la.»

Cf. Portal Galego da Língua

Ourense avança na lusofonia

A 24 de março de 2014, há sete anos, após ter sido aprovada por unanimidade pelo Parlamento galego, foi publicada no DOG a Lei 01/2014 para o uso da língua portuguesa e ligações com a lusófona, também conhecida por Lei Valentín Paz Andrade, pois este galeguista foi a inspiração empresarial e reintegracionista para promover a Iniciativa Legislativa Popular que, depois de colher mais de 17.000 assinaturas registadas e manuais, foi também unanimemente tomada em consideração pelo Parlamento galego. O Director-Geral da Política da Língua destacou recentemente o facto de o porta-voz no Parlamento ser um empresário, não um linguista ou um político, o qual dá uma ideia de como deve ser a base do novo consenso e do curso desta lei.

Na verdade, os empresários fornecemos consenso. E o consenso foi a chave não apenas na gestação e aprovação da lei. Também para o seu desenvolvimento são necessários generosidade política, profissionalismo, realismo e inteligência pragmática. É mais fácil nos encontrarmos nesse caminho do que passar por emoções e enteléquias subjetivas. Economia é isso: cuidar da casa, sendo este um espaço físico onde as relações de cooperação e responsabilidade são compartilhadas. A atividade dos empresários, as capacidades econômicas e tecnológicas para cultivar bens e aumentar a riqueza, também estão orientadas para o desenvolvimento social.

Continuar lendo “Ourense avança na lusofonia”